Malbec World Day

Nesse dia 17 de abril de 2021 comemora-se o dia internacional dessa variedade de uva tão famosa em Mendoza, na Argentina.


Mas por que o dia 17 de abril?


Porque o dia 17 de abril de 1853 marca a fundação da primeira Quinta Agronômica da Argentina, com a intenção de adaptar variedades francesas aos solos de Mendoza.

Esta data é o símbolo da transformação da vitivinicultura argentina e o ponto de partida para o desenvolvimento da Malbec, emblema da Argentina no mundo.

Malbec

A Malbec é originalmente uma uva associada ao sudoeste da França, mas hoje é muito mais gloriosa aqui na América do Sul.


Mais conhecido, então, como Côt, era a videira mais comumente plantada em todo o sudoeste da França, incluindo Bordeaux, e ainda era amplamente cultivada por lá, até que o inverno rigoroso de 1956 matou muitas das videiras e uvas alternativas foram replantadas. Tem até um sinônimo próprio, Pressac, na margem direita do rio Gironde. Hoje em dia, em Bordeaux, não é comum, pois os produtores reclamam de coulure (doença que ataca as videiras) e da frutificação pobre - mas é cultivado principalmente em partes remotas de Bordeaux como Bourg, Blaye e Entre-Deux-Mers. Também é teoricamente permitida, embora não seja amplamente cultivada, em uma ampla gama de outras denominações no sudoeste da França, porém é em Cahors onde é mais conhecida, mesmo utilizando o nome de Auxerrois ou Côt nessa área.


Os regulamentos para Cahors estipulam um mínimo de 70% de Malbec / Auxerrois / Côt e a videira parece ter melhor desempenho nos solos das áridas Causses, os planaltos calcários acima do rio Garonne que são as vinhas mais tradicionais de Cahors. Certamente, os vinhos produzidos aqui, e não na margem do rio, parecem ter o maior potencial de envelhecimento, especialmente quando combinados com uvas Tannat em vez de Merlot.

Também houve um influxo recente de dinheiro e ambição em Cahors, de estrangeiros, sejam eles de Nova York ou Paris, como a família por trás do império Cartier, que está determinada a produzir em Le Pigeonnier um Cahors digno de preços de culto. Mas permanece o fato de que uma grande quantidade de Cahors é bastante rústica, muitas vezes um pouco rala e animal no palato.


Além do fato de serem ambos tintos, dificilmente se pode reconhecer uma relação entre a maior parte do Malbec produzido em Cahors e o produzido em Mendoza, na Argentina. Na década de 1980 os vinhedos argentinos, especialmente aqueles na região dominante de Mendoza, foram inundados com Malbec e a indústria vinícola argentina estava bastante envergonhada do fato, puxando-o assiduamente em favor de algo mais obviamente na moda como Cabernet Sauvignon.


Mas a cepa particular de Malbec que foi levada para a Argentina, acredita-se em meados do século XIX e possivelmente através das mudas importadas de Bordeaux para o Chile, adaptou-se de forma tão espetacular às condições locais que os visitantes estrangeiros nas vinhas da Argentina na região altamente irrigada - os flancos orientais dos Andes - haviam, na década de 1990, convencido a indústria vinícola argentina de que o Malbec era a joia de sua coroa. Infelizmente, não foi a tempo de impedir que tantas vinhas fossem arrancadas que a Malbec foi por um tempo ultrapassada como a uva mais nobre da Argentina pela especialidade conhecida lá como Bonarda.


O bom Malbec argentino é profundamente concentrado em cor, com uma suculência exuberante e tem como característica uma textura quase aveludada. Alguns Malbecs são feitos para longo envelhecimento, mas geralmente os vinhos têm taninos muito mais suaves do que o Cabernet Sauvignon argentino, por exemplo. Com seus altos níveis de álcool e frutas, o Malbec argentino é fácil de agradar a todos os paladares.


Mendoza é a terra natal dos Malbec argentinos e dentro dela o distrito de Luján de Cuyo, ao sul da frondosa cidade de Mendoza, foi identificado relativamente cedo como o lar espiritual de Malbec. O Malbec pode ser plantado em altitudes um pouco maiores do que o Cabernet Sauvignon de maturação tardia - na verdade, ele retém melhor sua acidez e aroma. Exemplos de Malbec de algumas das regiões vinícolas mais frescas da Argentina, como Río Negro, até o sul da Patagônia, conseguem uma combinação particularmente apetitosa de doçura suculenta e um certo caráter vigoroso e, às vezes, meloso.


É significativo que tantos daqueles que agora estão tentando fazer vinhos de luxo na Argentina tenham baseado seus blends extremamente caros no Malbec ou pelo menos o tenham incorporado em um grau significativo. Falo aqui em nomes como Caro (uma joint venture entre Château Lafite-Rothschild e Nicolás Catena), Catena Zapata, Cheval des Andes (uma joint venture entre Château Cheval Blanc e Terrazas de los Andes da LVMH que já produz um Malbec extremamente bom em vários níveis diferentes), e a própria extensa gama de vinhos argentinos de Michel Rolland, como Yacochuya de Salta no norte (com a família Etchart) e o projeto Clos de los Siete no alto dos Andes perto de Vista Flores com vários, principalmente franceses parceiros.


Os antigos vinhedos Malbec são um componente significativo dos candidatos aos vinhedos mais altos do mundo na província de Salta, no vinhedo Colomé do colecionador de arte suíço Donald Hess, perto de Los Molinos, e em Tacuil, a fazenda vizinha que ainda pertence a Raúl Davilos, o dono da Colomé. É importante notar que a idade média das vinhas Malbec da Argentina é relativamente alta - sem dúvida um fator na qualidade do vinho que produzem.


Malbec parece ser um bom candidato para assemblage - especialmente com vinhos naturalmente ricos em taninos e / ou acidez. Cabernet Sauvignon é um parceiro óbvio.

Não é surpreendente que o vizinho da Argentina, o Chile, também esteja produzindo Malbec muito bem-sucedido. Na verdade, o Chile há muito tem plantações bastante substanciais de velhas vinhas Malbec e, nos vinhedos onde a irrigação não é muito entusiástica e os rendimentos não são muito altos, o Malbec chileno pode produzir alguns vinhos deliciosamente maduros, escuros e com personalidade. Viu Manent foi uma das primeiras bodegas chilenas a se especializar em Malbec, porém hoje existem dezenas de produtores.


Deixo aqui algumas sugestões de Malbec.



332 visualizações

Posts recentes

Ver tudo