Vinho na lua?

Nuits-Saint-Georges é uma das denominações símbolo da Bourgogne, na França, e é onde acontece todos os anos, em janeiro, a festa de Saint-Vincent, padroeiro dos vinhateiros. É uma grande oportunidade de se familiarizar com vinhos que são conhecidos até na lua!


Nuits-Saint-Georges está localizada na Côte de Nuits, a cerca de vinte quilômetros ao sul de Dijon. A área de produção se estende pelos municípios de Nuits-St-Georges e Premeaux-Prissey, em 316 hectares, dos quais 143 hectares de vinhedos classificados como premier cru, em 36 climats. O sindicato da denominação, presidido por Denis Bazart, conta com 70 membros que produzem vinhos sedutores. Só para termos uma ideia sobre a importância dessa denominação, até uma cratera lunar tem o nome desse que é um dos melhores vinhedos da Bourgogne. Batizada em 1971 pelos astronautas do projeto Apolo XV da Nasa, a Cratère Saint-Georges abriga em seu solo um rótulo de Nuits-Saint-Georges. Também está presente na obra célebre autor Jules Verne, De la Terre a la Lune, de 1865.


Segundo o jornalista Gilles Matthieu, Nuits-Saint-Georges não merecia representar a Bourgogne na lua, e sim um Grand Cru da Bourgogne. Mas isso é outra história...


Chardonnay e Pinot Noir são os dois principais varietais. Existem em discretas quantidades Pinot Beurot e Pinot Liebault que produzem vinhos originais de grande qualidade. A produção é focada em vinhos tintos, porém alguns brancos maravilhosos são quase confidenciais. Os vinhos produzidos ao sul da região apresentam cor mais delicada e revelam aromas frutados, florais e vegetais, além de sólida estrutura que são as principais características desses vinhos vigorosos. Com o envelhecimento os aromas evoluem para notas de alcaçuz, couro e ameixas. Ao norte da região os vinhos apresentam a mesma cor delicada e são aptos a um bom envelhecimento. As notas vegetais se mesclam com toques frutados de ameixa. Após poucos anos de garrafa esses aromas se aperfeiçoam e evoluem para as notas animais. Sobre o paladar podemos dizer que, ao longo de tempo, o vinho alcança maciez e revela todo o potencial da sua qualidade.


Quanto aos Premier Cru a variedade de sabores é imensa, porém todos eles têm um ponto em comum: a cor intensa e escura, aromas complexos e potentes com notas de cereja, cassis, trufas e, muitas vezes, especiarias. Esses vinhos, entre os mais tânicos da Bourgogne, são encorpados e sólidos, duas vantagens para resistir a pelo menos duas décadas de envelhecimento na adega.


O Nuits-Saint Georges, então, é um vinho que deve ser harmonizado com pratos elaborados com vinho como, por exemplo: carne de caça grelhada, peito de pato com pimenta verde ou terrine de coelho, clássico da região. Além desses pratos, os queijos de meia cura também são companheiros interessantes.


Esse post foi atualizado hoje, 18 de fevereiro de 2021, data em que mais uma missão não tripulada chega a Marte, pousando mais um rover.


Enquanto não podemos beber uns vinhos lá na lua, ficamos por aqui mesmo com a Bourgogne na mente e a taça na mão! GT



16 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

©2021 por Gianni Tartari Sommelier Profissional.